Salário do professor suíço é dez vezes maior que o do brasileiro

Compartilhe!

Segundo dados apurados por agências do Banco Mundial, da Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento (OCDE) e das Nações Unidas, o salário dos professores brasileiros do ensino fundamental é um dos piores do mundo na sua categoria, sendo menor que o Produto Interno Bruto (PIB) per capita do Brasil.

O alerta foi lançado pela Organização Internacional do Trabalho (OIT) que, às vésperas do Dia Internacional do Professor, comemorado no dia 15 de outubro, aponta os riscos que vários países correm, principalmente os emergentes, em função da baixa remuneração dos seus professores.

Um professor do ensino fundamental no estado de São Paulo ganha em média US$ 10.600,00 durante um ano de trabalho. Esse valor representa apenas 10% daquilo que um profissional equivalente recebe durante o mesmo período em Zurique, na Suíça, onde um professor recebe em média US$ 104.600,00.

O estudo compara 73 cidades pelo mundo inteiro e a capital paulista ficou à frente de apenas 17 cidades. O comparativo mostrou que cidades do Japão, da Europa e dos Estados Unidos pagam salários pelo menos cinco vezes maiores que a cidade de São Paulo.

Por meio de um comunicado, o novo diretor geral da OIT, Guy Rider, fez um apelo às autoridades governamentais. Ele entende que os baixos salários não atraem pessoas qualificadas para a profissão e, com isso, a qualidade do ensino é proporcionalmente prejudicada. O apelo sugere que os governos definam estratégias para tornar a profissão mais atraente.

Quase esportista, quase radialista, quase micro-empresário, quase fotógrafo, quase tudo, em suma, um cara focado...